Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Inspiration Lab

purificação

Eu sei que a tempestade vai chegar. Sei que quando o sol nascer tu vais estar cá para me fazer sofrer. Vejo as nuvens que ao longe se formam. Pressinto os trovões que a soar não tardam. E só consigo pensar em ti. Já me esqueci da razão pela qual fugi. Tudo o que sei é que quero mergulhar nesses profundos olhos que me fazem viajar, que me levam a conhecer mundos que nunca sonhei encontrar. Quero-me entregar a esse sorriso por que me apaixonei. Quero regressar aos tempos de paraíso antes de ter começado a pensar que, se este constante medo é amor, então amar eu não sei.
Delicado, mas nunca em demasia. Interessado, mas quiçá cativado por outra qualquer maior magia. Cavalheiro, mas não a tempo inteiro. Misterioso. Segredos ocultados pelo eterno estado jocoso. Fascinei-me por essa tão dele procura pelo que não podia ter. Encantei-me, e em torno dele passei a viver. Nada mais importava quando, mais intensamente do que nunca, amava. Aquele amor era diferente e, se o meu estava sempre presente, eram imensas as vezes em que o dele se ausentava. Era difícil não me questionar se não me estava a dedicar a uma relação em que, demasiadas vezes, era a única disposta a amar. Difícil, mas não impossível. Não queria fazer perguntas que me levassem para longe da razão do meu respirar. Não conseguia imaginar destino mais terrível.
Não sei o que mais me magoou. Se foi senti-lo culpar-me por todo o mal que na vida lhe corria. Se foi reparar no monstro em que, da noite para o dia, se tornou. De intensamente apaixonado, a incrivelmente distante. De fiel namorado, a causador de sofrimento constante.
Ao longe, oiço o ribombar de um trovão. Sinto o medo, o agitar do meu coração. Cai a primeira gota sobre o meu colo. De raiva estremece o solo. Assobia o vento. É de tão forma violento, que nem te oiço chegar. Nem oiço a porta a bater. Para meu espanto, não corro para te abraçar. É a minha vez de viver. Está na hora de me escolher.

Luísa

"No fundo, todos temos necessidade de dizer quem somos e o que é que estamos a fazer e a necessidade de deixar algo feito, porque esta vida não é eterna e deixar coisas feitas pode ser uma forma de eternidade." - José Saramago

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D