Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Inspiration Lab

Musicalidade: Desistir do que já não faz sentido

Hoje em 'Musicalidade' inspirei-me no tema 'Let it go' de James Bay. Espero que gostem!

 

Ainda tão bem me recordo dos dias em que o teu abraço colava todos os pedacinhos partidos em mim. Em que o teu sorriso me iluminava. Em que nas tuas mãos me colocava. Em que tudo em mim em ti confiava. Em que as nossas almas eram uma só. Em que lutávamos juntos, nós contra o mundo. Em que caminhávamos na mesma direção. Em que perseguíamos os mesmos objetivos. Pergunto-me para onde esses mágicos tempos fugiram.
Agora tudo o que partilhamos são memórias. É a vontade de fazer o impossível funcionar. São as inúmeras falhadas tentativas. É a confusão. São as indecisões. São os sonhos comuns destruídos. São as almas baralhadas. É o desejo de regressar ao tempo em que partilhávamos algo de bom.
Porque continuamos a agarrar-nos a algo desnecessário pelo simples medo de o largar. Pelo simples medo do que pode acontecer se deixarmos ir algo que já há tanto faz parte das nossas vidas. Porque continuamos a viver em função de algo que já não amamos. Porque já não me reconheço em ti. Porque os nossos corações já não encaixam. Porque as barreiras que subitamente entre nós surgiram não podem ser destruídas. Porque nos tornámos em algo que nunca desejámos ser. Porque nos deixámos apanhar num doentio ciclo vicioso de tentativas falhadas. Tentativas que nos destroem. Falhanços que nos consomem.
Mas não nos temos que contentar com arrastarmo-nos pela vida no limiar da rotura, esperando que o derradeiro dia chegue. Não temos de deixar que esta situação de que somos vítimas nos retire tudo de bom que há em nós. Não temos que gastar todas as forças que nos restam a tentar ressuscitar algo há muito morto. Não temos que desistir da nossa essência para tentar fazer funcionar algo que simplesmente não faz sentido.
Esta é, sim, a nossa oportunidade de renascermos. De finalmente sermos quem somos. De tomarmos o caminho em direção ao nosso destino. De reavermos a felicidade que há muito nos abandonou.
Peço-te, então, que te esqueças de mim, mas que nunca te esqueças do que vivemos antes de deixarmos de viver. Peço-te que encontres o teu caminho. Que encontres as batalhas certas para lutar. Que consigas ser essa pessoa maravilhosa que és. E que sejas feliz.

Luísa

"No fundo, todos temos necessidade de dizer quem somos e o que é que estamos a fazer e a necessidade de deixar algo feito, porque esta vida não é eterna e deixar coisas feitas pode ser uma forma de eternidade." - José Saramago

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D