Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Inspiration Lab

Doce

Nunca pensei que o meu coração fosse grande o suficiente para acolher alguém tão pequeno. Nunca julguei vir a conhecer tal amor, tão intenso, tão eterno, tão sereno. Nunca acreditei que viria, um dia, a pensar por dois. Nunca considerei o quanto a minha vida mudaria após saber que existias, não sabia que esse primeiro enrolar dos teus dedos em torno do meu polegar alteraria tudo o que nesta minha vida ocorreria, depois. Nunca calculei, nem por um qualquer momento escasso, que pudesse amar tanto a vida como a amo agora, envolvendo-te no meu abraço.
Eu, que não acreditava em magia. Agora sei que era porque me recusava a ver. Eu, que nem sequer existia, antes de nos meus braços te ter.
Não sei porque não cesso de me espantar com o facto de esse teu tão doce riso respirar, esse tão teu rir que tem o dom de a minha alma apaziguar. Porque é para mim céu aberto, a tua alegria. Que bom é ter-te aqui tão perto. Quando te tenho junto a mim esqueço que já conheci lugares mais negros que o mais radioso dia.
Não sei qual é o meu espanto por tão desesperadamente desejar acalmar esse teu pranto, que tanto te vira do avesso, mas nunca te destrói, e até ti me arremesso porque, ao ver-te assim, os teus olhos em lágrimas, a chamar por mim, o meu coração dói.
És só uma criança, a deste mundo esperança, e com a vida hás-de aprender. Hei-de ver-te cair, hei-de ver-te erguer, hei-de tanto sofrer. Se de mim dependesse, eras do mundo poupado, liberto do seu mau olhado, protegido pela minha constante prece. Mas quão egoísta seria eu, ao insistir em de tudo te proteger, quando o mundo ansiosamente espera pela cor que lhe podes devolver? Um dia, serás da tua vida rei. Um dia, sei que de ti me orgulharei. Vais viver intensamente. Vais dar vida a muita gente. Vais ser tudo o que desejares ser. Mas, por agora, fica mais um bocadinho, aconchega-te neste meu de carne ninho, deixa-me ver-te adormecer.

Luísa

"No fundo, todos temos necessidade de dizer quem somos e o que é que estamos a fazer e a necessidade de deixar algo feito, porque esta vida não é eterna e deixar coisas feitas pode ser uma forma de eternidade." - José Saramago

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D