Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Inspiration Lab

Considera-te perdoada.

Esperei e desesperei pelas poucas palavras que necessitava de ouvir para poder prosseguir. Para poder finalmente colocar um ponto final onde vírgulas continuavam a aparecer. Não queria lágrimas. Não queria os teus joelhos a meus pés. Não queria sacrifícios. Não queria discursos emocionados. Nunca quis. Tudo o que sempre de ti desejei foi um simples reconhecimento pelos teus erros. Tudo o que sempre de ti quis foi um pedido de desculpas. Um simples mas sincero pedido de desculpas pelo qual até hoje aguardei.
Por vezes pergunto-me se, afinal, não foi apenas um pesadelo. Ou se foi tudo fruto da minha imaginação. E talvez até acreditaria nisso se já não sentisse as quentes lágrimas que tantas vezes derramei. Lágrimas já envelhecidas, mas que exprimiram sofrimento que ainda continua recente. E talvez até nisso acreditaria se as memórias não fossem intensas e realistas demais para serem inventadas.
Mas a verdade é que a vida ensinou-me que há pessoas das quais nem o mínimo podemos esperar. Há pessoas que continuamente nos surpreenderão com as suas deploráveis atitudes. A vida ensinou-me que não podemos ajudar alguém a tornar-se uma pessoa melhor se ela nem sequer entender que errou. Correção, se ela nem sequer aceitar que errou. A vida ensinou-me que, por vezes, temos que aceitar desculpas que nunca ninguém proferiu nem pretende proferir. Não porque queremos que essas pessoas tenham uma segunda oportunidade. Não porque acreditamos que o mal que fizeram passou da validade. Mas por nós. Porque nós merecemos mais do que uma vida à espera de algo que merecemos mas que nunca irá chegar. Porque somos mais do que a opinião de um irrelevante e triste ser sobre nós. Porque merecemos paz.
E é por isso, então, que hoje termino um capítulo que há muito tentava editar, sem a qualquer conclusão chegar. E é por isso que hoje concluo que a obra de arte que é a nossa vida pode ser maravilhosa sem que todos os seus capítulos o sejam. E é por isso que hoje decido esquecer-me das pessoas tóxicas que me rodeiam e concentrar-me em todos os excelentes capítulos da minha história que ainda posso escrever, com a ajuda das pessoas certas. Porquê desperdiçar oportunidades de escrever algo fantástico continuando presa num capítulo que já não posso alterar?
Espero, então, que também tu tenhas promissores capítulos pela frente. E espero que essas más partes da tua história que te recusas a assumir tenham contribuído para te tornar melhor escritora. E que ninguém te tente privar da tua felicidade como tu tão afincadamente tentaste privar-me da minha. E que nunca ninguém te faça sofrer como me fizeste a mim. E que tenhas uma boa vida, bem longe de mim.
Considera-te perdoada por tudo o que aparentemente nunca fizeste.

2 comentários

  • Imagem de perfil

    Luísa 08.09.2016 10:04

    Concordo!
  • Comentar:

    CorretorEmoji

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

    Luísa

    "No fundo, todos temos necessidade de dizer quem somos e o que é que estamos a fazer e a necessidade de deixar algo feito, porque esta vida não é eterna e deixar coisas feitas pode ser uma forma de eternidade." - José Saramago

    Mais sobre mim

    foto do autor

    Subscrever por e-mail

    A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

    Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2018
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2017
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2016
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2015
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D