Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Inspiration Lab

talvez

Rotina. Passo atrás de passo. Caminhando pela neblina. Sempre pé ante pé, pois o descuido é erro crasso. Vivendo essa vida de esperança, de cega fé num dia que a chegar tanto demora. Perdendo-me nesse delicioso agora. Captando alegria de momentos que nunca a ninguém trouxeram verdadeira felicidade. Não reparando na minha gritante ingenuidade. Deixando-me tomar por essa incontrolável vontade de ser mais. Por muito que não o admita, arrependo-me dessas tão irreverentes ações. Tão típicas de alguém tão carente, que não encontra esse amor de que tanto se fala nas canções.
Para ti, para toda a gente, está tudo bem com o mundo. Será que não há ninguém diferente capaz de parar para pensar por um segundo? Irrita-me essa tua calma perante a vida, essa serenidade perante inquietações minhas. Nas promessas ocas de paz e amor para toda e qualquer alma, parecia ser o único a ler nas entrelinhas.
Nessa tão doente Terra, serei eu a única mente a vislumbrar declarações de guerra nos sorrisos vazios de quem nada sente? Serei eu algum louco por querer experimentar mais um pouco, por ansiar ser diferente? O que tem de errado esta gente que consume rotinas sem sequer as questionar, que tem como sonho de vida dizer 'sim' num altar? Para que me serve um fato bonito e um bolo com camadas a mais, se no mundo onde vivo somos tão desiguais?
E ai de quem me vier dizer que na escola é que eu vou aprender a ser alguém melhor. São os doutores que mandam as bombas detonar, são eles que dão a ordem para matar. Não me venham com moralismos, por favor. Não se deixem enganar por um qualquer homem de fato, perito em falar com errada precisão de algo que é tão abstrato.
Desculpem se não sou perfeito, mas não me posso deixar ficar num mundo assim, admito andar à deriva, sim, mas não me vou conformar com um mundo de tal forma ruim, não o aceito. Podem gritar o que quiserem. Não vai adiantar. Nesta esfera está tudo errado, este globo não está bem e, se quero chegar a algum lado, por esse meu futuro alguém, tenho o dever de a curar.
Hoje de junto de ti me vou, vou tentar não me tornar em quem acabaste por ser. Por quem sou hoje vou lutar, por quem um dia foste vou vencer, ou a tentar hei-de morrer. E vou esforçar-me tanto, vou sangrar, vou chorar, vou tentar, vou correr. Quando me tentares ligar, eu não vou atender. Vou estar demasiado ocupado a recuperar este nosso mundo que foi desviado, um mundo em vias de se perder.
Talvez um dia passe para deixar um recado, dizendo que em todo lado me lembrei de ti. Talvez chore um bocado, ao reparar que grande parte da minha raiva esqueci.
Talvez um dia volte a tocar à campainha. Talvez um dia olhe em volta dessa casa que um dia foi minha. Talvez um dia compreenda que este mundo é o que dele decidimos ver. Talvez me torne no filho que sempre desejaste ter.

2 comentários

Comentar post

Luísa

"No fundo, todos temos necessidade de dizer quem somos e o que é que estamos a fazer e a necessidade de deixar algo feito, porque esta vida não é eterna e deixar coisas feitas pode ser uma forma de eternidade." - José Saramago

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D