Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Inspiration Lab

Se desejamos renascer.

Pode tornar-se um pouco assustador pensar que todos os dias uma pequena parte de nós morre. Todos os dias, uma pequena parte do nosso ser perde-se para sempre. Todos os dias dizemos um definitivo adeus a algo que outrora fez parte de nós.
Confrontados com esta realidade, há os que a aceitam. Há os que entendem que na maioria das vezes esta perda tem um fim positivo. Há os que estão dispostos a abrir mão de um pouco de si. Há os que abrem portas para que novas partes apareçam e os constituam, tornando-os pessoas melhores. São esses os que se renovam. Os que se perdoam. Os que se reencontram com a felicidade.
Mas há também os que ficam assoberbados por esta ideia. Os que não conseguem ver a parte positiva nesta perda. Os que não entendem que há partes de nós com as quais não devemos querer ficar. Partes de nós que pertencem ao passado. Partes de nós que já não fazem falta. Partes de nós que só nos prejudicam. Que nos impedem de crescer. Há os que decidem agarrar-se a tudo. Tudo o que têm de bom, mas também tudo de mau que há em si. Os que se tornam num poço dos erros do seu passado, de características que neles já não deviam residir. Os que não evoluem porque continuam a agarrar-se a quem foram. Os que se fixam no seu passado e se esquecem que é no presente que devem residir e que é no seu futuro que devem arduamente trabalhar. Os que ficaram presos num olhar para trás e o tornaram eterno. São esses os que se afogam em mágoas passadas. Os que se autodestroem. Os que se matam durante a sua desmesurada e mal pensada luta pela sua salvação.
Permitamos, então, que algumas partes de nós que já não nos fazem falta nos abandonem. O ato de as deixar ir é doloroso, é certo, mas a leveza que sentimos quando os constituintes negativos de quem outrora fomos deixam de fazer parte de nós é inigualável. Porque tal como uma fénix necessita de se queimar para depois poder renascer, mais jovem e mais bela do que nunca, o mesmo acontece connosco. Há algumas partes de nós das quais temos de abdicar se desejamos crescer. Se desejamos tornar-nos pessoas melhores. Se desejamos evoluir. Se desejamos ser melhores, mais fortes. Se desejamos renascer.

Luísa

"No fundo, todos temos necessidade de dizer quem somos e o que é que estamos a fazer e a necessidade de deixar algo feito, porque esta vida não é eterna e deixar coisas feitas pode ser uma forma de eternidade." - José Saramago

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D