Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Inspiration Lab

Se ao menos

Se ao menos tivesse mais dinheiro. Se ao menos tivesse mais saúde. Se ao menos estivesse de férias. Se ao menos o tempo estivesse bom. Se ao menos fosse mais novo. Quanto mais cresço mais são as frases deste género que ouço e, quantas mais ouço, mais revoltada me sinto.

Parece uma característica do ser humano nunca estar contente com nada, o que só por si pode não ser assim tão mau quanto parece, se essa característica nos encorajar a sermos nós mesmos a mudar o mundo, a fazer com que ele fique melhor. Se nos encorajar a participar ativamente nesta interminável demanda que é o nosso enriquecimento pessoal e a melhoria do que nos rodeia, então não vejo mal nenhum nisso. 

O problema surge quando pensamos que a nossa felicidade depende inteiramente de coisas que não controlamos. Parte dela depende, sim. Mas a maior parte começa em nós. 

Porque se tivéssemos mais dinheiro, era da saúde que nos queixávamos. Se tivéssemos saúde, umas férias é que vinham mesmo a calhar. Se o tempo estivesse bom, o mau é não podermos desfrutar dele porque a idade já não o permite.

Esse tipo de atitude é que não enriquece ninguém. Esse tipo de atitude mata. Corrói. Faz-nos tornar-nos pessoas revoltadas, de mal com a vida, porque a pouco e pouco vamo-nos convencendo de que a nossa vida deve ser perfeita, que a vida de toda e qualquer outra pessoa é perfeita, mas nós, coitadinhos, não somos felizes e não temos qualquer maneira de alcançar a nossa felicidade ou realização pessoal.

Se estivermos à espera que a vida perfeita chegue, podemos bem esperar deitados. Não há uma vida perfeita. Toda a gente lida com vicissitudes diariamente. O que nos distingue uns dos outros, o que faz os menos atentos pensar que algumas pessoas foram abençoadas com uma vida magnífica e perfeita, é a maneira como lidamos com essas pedras no caminho. Se escolhemos desistir e afogarmo-nos num mar de pena própria e desespero ou se sacamos da nossa espada e decidimos lutar contra os sacanas dos problemas. Se escolhemos pôr de lado as nossas batalhas porque elas parecem difíceis demais para travar ou se vamos à guerra, prontos para sofrer mas para vencer, para depois erguer a paz e felicidade alcançada como se de um troféu de tratasse.

A nossa vida pode ser sempre muito melhor, de facto. Ela pode melhorar se nos tornarmos pessoas melhores, ela pode melhorar se fizermos o bem. Se o sol dentro de nós brilhar, não há chuva que nos incomode. Se a nossa alma estiver saudável, não há dores que nos atinjam. Se o nosso espírito permanecer jovem, a idade física é um insignificante número. 

Porque somos nós que construímos a nossa felicidade. 

 

 

Luísa

"No fundo, todos temos necessidade de dizer quem somos e o que é que estamos a fazer e a necessidade de deixar algo feito, porque esta vida não é eterna e deixar coisas feitas pode ser uma forma de eternidade." - José Saramago

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D