Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Inspiration Lab

Musicalidade: Esperarei por ti.

Hoje o post de 'Musicalidade' é inspirado na música 'Todos Os Dias' de Paulo Sousa. Espero que gostem!

 

Fascinante como alguém que passou tão pouco tempo a meu lado deixou tantas saudades. Fascinante como alguém com quem passei tão pouco tempo me marcou como nunca ninguém o fez. Fascinante como mesmo enquanto te afastavas de mim não conseguia deixar de admirar a beleza nos teus passos, a harmonia do teu caminhar. Fascinante como não necessito que estejas ao meu lado para me sentir feliz, desde que saiba que estás bem. Fascinante como pareces não reconhecer quem melhor te quer. Fascinante como continuas a correr para os braços da gente errada.

Porque o melhor que este mundo tem para te oferecer te desejo. Desejei-te isso no passado, relembrando-te do teu valor enquanto te segurava na mão. Desejo-te isso hoje, enquanto a tua distância me sufoca e sorrisos tento forçar. 

Porque nunca acreditei com tanta convicção de que a esperança é mesmo a última a morrer. Aliás, de momento creio mesmo que a minha esperança é imortal. Não espero que seja com quem desejas estar, mas se for para mim que decidires caminhar não me surpreenderás. Não me apanharás de surpresa se for nos meus braços que te quiseres refugiar. 

Porque acredito que, por muitos anos que passem, por muitas voltas que a nossa vida dê, por muitos muros que te esforces por construir entre nós, por muito que me esforce para avançar, esperarei sempre pelo teu abraço que cola todos os pedacinhos de mim que algo ou alguém outrora já destruiu.

O tempo já há muito apagou as memórias dos tempos em que acordava sem a tua imagem impressa dentro de mim. Foram com os anos os tempos em que o meu mundo não girava em torno do teu. Já há tanto esqueci as alturas em que ficava indiferente às tuas palavras. Já não me lembro o que é levantar-me da cama tendo outro objetivo senão fazer-te feliz. 

Tornou-se um hábito esquecer-me das minhas lutas para te ajudar a travar as tuas. Tornou-se um hábito esquecer-me dos meus sentimentos para não ferir os teus.

Dizem-me que devia baixar os braços. Tentar esquecer-te. Mas só pode sugerir uma insanidade dessas quem nunca provou a tua pura essência. Quem nunca por ti foi encantado.  

Resta-me relembrar como os escassos dias que passámos juntos foram suficientes para curar certas feridas que pensei não terem solução, por muito que o fim desses alegres tempos me tivesse aberto umas quantas outras. 

Resta-me esperar que um dia voltes para quem durante todo este tempo por ti esperou. Para quem durante todo este tempo tão bem te quis. Para mim. 

 

Luísa

"No fundo, todos temos necessidade de dizer quem somos e o que é que estamos a fazer e a necessidade de deixar algo feito, porque esta vida não é eterna e deixar coisas feitas pode ser uma forma de eternidade." - José Saramago

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D