Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Inspiration Lab

Mereço-te?

Mas que forma de pensar é essa, essa que te faz acreditar que todos são superiores a ti? Que é isso de acreditares que só os outros têm direito a ser felizes? Porque tens tão pouca fé em ti que nem te permites sonhar? Abandona essa crença que só outros me podem fazer feliz!
Para que quero eu, afinal, aventuras loucas quando me posso perder nas profundezas dos teus olhos? Para que quero eu animadas conversas quando me posso afogar nos teus significativos silêncios? Para que quero eu desenfreadas corridas quando podemos deixar as nossas almas divagarem, livres? Para que quero eu limitar-me a sonhar se contigo todos os meus sonhos posso concretizar? Porque quero eu outro alguém se contigo posso ficar?
Para que quero eu o perfeito? Para que quero eu procurar o que não sou nem ninguém é? Para que quero eu procurar algo que na verdade nunca encontrarei? Não há pessoas perfeitas, não há. Não há relações perfeitas, não há. Não há momentos perfeitos, não há. Mas há esperança. Há vida. Há duas pessoas fintando os obstáculos da vida, ultrapassando desafios, caindo, erguendo-se, lutando, nunca parando. Quem foi, afinal, que te disse que tinha de ser perfeito para ser bom? Quem foi que te disse que tinhas de ser livre de qualquer falha para que pudesses viver?
Não consigo prever o futuro, é verdade. Mas há algo que consigo fazer. Consigo reconhecer uma história repetindo-se. Consigo denotar quando me deparo com dois capítulos idênticos. Consigo recordar-me do final da história que já li, adivinhando assim o final da história que ainda leio. Consigo alertar o escritor. Consigo dizer-lhe que a história que escreve está demasiado previsível.
Consigo aconselhar-te a mudar o rumo da tua história. Consigo dizer-te que, se assim continuares, o mais provável é acabares enterrado nas tuas tentativas de perfeição. Consigo aconselhar-te a parares.
Pára, um instante que seja. Olha à tua volta. Repara como o solo apresenta sulcos. Como as árvores estão esburacadas. Admira as folhas meio-partidas. Ouve o canto desafinado de um pássaro que ao longe canta. Algo do que vês é perfeito? Algo do que alguma vez na tua vida viste é perfeito? E é por isso que deixam de ser menos belos? É por isso que deixam de merecer o seu lugar neste mundo? Então porque tentas tu ser o que nada nem ninguém consegue ser?
Abraça a as tuas imperfeições. Não trabalhes para ser perfeito, trabalha para ser melhor. Compete com o único adversário que realmente tens. Compete com quem foste ontem, mas orgulha-te se não superares que serás amanhã. Ama-te! Ama-te, porque não amarás verdadeiramente nem serás amado se não te amares primeiro.
E, mais importante do que tudo, algo que só conseguirás atingir quando muitas outras coisas primeiro atingires, sê feliz. Pura e genuinamente feliz. Não para me fazer feliz. Não para satisfazer alguém. Mas porque tu mereces ser feliz. Porque tu mereces paz. Porque tu mereces ser quem tu mereces ser.
Merece-te. Mereço-te?

Luísa

"No fundo, todos temos necessidade de dizer quem somos e o que é que estamos a fazer e a necessidade de deixar algo feito, porque esta vida não é eterna e deixar coisas feitas pode ser uma forma de eternidade." - José Saramago

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D