Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Inspiration Lab

Menina dos Cabelos de Prata

Cabelos de prata, olhos de ouro, contagiante riso de diamante, coração viajante. Rosto marcado pelas muitas gargalhadas. Mãos doridas por durante tantos anos terem carregado pesadas espadas. Inigualável teimosia. Firme determinação. Temperamento fervilhante. Alma feroz. Sonhos sem limites. Pensamentos galopantes. Coragem infinita. Energia inacabável. Amor incondicional. Aventuras mil. Inúmeras histórias para contar.
A experiência na vida faz com que muitos se tornem medrosos. Cautelosos. Mas não teve esse efeito na eterna Menina. Tudo o que ela já viveu encorajou-a a mais viver. A mais sentir. A mais amar. A não deixar palavras por dizer ou ações por fazer. A desafiar todas a probabilidades. A espantar todos aqueles que nela não acreditam. A tornar-se mais dela e menos no que esperam dela. A ser mais incansável e imperdoável nesta sua infindável busca pela felicidade. Por si.
A aparência de virar cabeças já há muito o tempo levou. Mas a sua beleza vem do interior do seu ser. Porque a sua alma é linda. E essa beleza nada nem ninguém pode roubar. É o tipo de beleza que não se perde com o passar dos anos. É o tipo de beleza invisível aos olhos mas que se sente intensamente com a alma. O tipo de beleza que não passa despercebida perante aqueles que se encontram alerta para o que neste vida realmente importa.
Porque felicidade como a dela não se mostra, não se exibe. Vive-se. Transmite-se. Sente-se. Irradia-se. Porque esse seu tão próprio trajeto não se baseia em coisas, mas sim em momentos. Em sentimentos. Em pessoas. Em lágrimas. Em gargalhadas. Em significativas conversas nos mais improváveis locais. Em beijos. Em abraços. Em aventuras. Em provas. Em batalhas. Em caídas. Em recaídas. Em recuperações. Porque ela é só dela. Ela é do mundo e de quem mais ama. Ela não é de ninguém, mas é de todos.
Porque a Menina é mais rica do que qualquer outra pessoa alguma vez foi. Mas ela não conta notas, não. Ela não se detém com coisas tão supérfluas. Ela é uma colecionadora de momentos em que a felicidade que sentia era tão grande que não cabia em si. Ela coleciona sorrisos. Coleciona amor. Coleciona tudo o que a torna numa pessoa melhor, numa pessoa mais completa, mais feliz. Essas são as suas verdadeiras riquezas. E ela tem muitas dessas.
Ela é furiosamente feliz. Quando o assunto é felicidade, ela não se poupa. Para muitos, ela é louca. Mas se loucura é ser feliz sem limites, se loucura é aproveitar cada segundo com nunca antes vista intensidade, então que sejamos todos bem loucos. Bem como ela. Que abusemos da vida. Que sejamos felizes na nossa intensa loucura. Que sejamos loucos felizes. Loucos realizados. Loucos sem arrependimentos. Eternas crianças. Naturalmente aventureiros. Que o nosso único medo seja não viver a vida com suficiente intensidade, não dar a devida importância a cada segundo, não amar suficientemente. Que o nosso único medo seja passar pela vida sem verdadeiramente viver. Que sejamos todos um pouco como ela. Que tenhamos todos em nós um pouco da Menina dos Cabelos de Prata.

Luísa

"No fundo, todos temos necessidade de dizer quem somos e o que é que estamos a fazer e a necessidade de deixar algo feito, porque esta vida não é eterna e deixar coisas feitas pode ser uma forma de eternidade." - José Saramago

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D