Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Inspiration Lab

Meios.

A boa notícia é que tudo acaba. A má notícia é que tudo tem um fim.
Os sorrisos. Os beijos. O abraços. As gargalhadas. Os segredos. As omissões. As promessas. As mentiras. As intrigas. As traições. O bom. O mau. O mediano. Os nossos inimigos. Quem mais amamos. Nós. Tudo, acaba. Todos acabam. Tudo tem o seu fim, quer isso nos agrade, quer não.
Todos sabemos que, um dia, o nosso percurso chegará ao fim. Todos sabemos que, um dia, os problemas que hoje parecem enormes não serão mais do que pequenas pedras no caminho quando chegarmos ao destino final da nossa caminhada. No entanto, será que temos mesmo essa noção?
Esquecemo-nos demasiadas vezes que não somos infinitos, que não somos imortais. Que, até a mais intensa felicidade, até o mais profundo sofrimento, terminará. E, por isso, desvalorizamos os momentos em que somos a melhor versão de nós próprios e não conseguimos ultrapassar os tempos em que mais sofremos. Pegamos nas pedras nos nossos sapatos e, em vez de nos livrarmos delas, acumulamo-as e com elas construímos um muro que nos impede de prosseguir. Que nos impede de continuar. Que nos impede de crescer. Que nos impede de ser quem realmente somos.
Não permitamos, então, que o facto de tudo ter um fim nos obrigue a olhar para a vida com os olhos de quem já não se alegra por viver. Porque, sim, somos apenas mais um. Sim, o tempo que temos a nosso dispor, comparado com a idade da casa que todos nós alberga, é um mero piscar de olhos. Mas é o nosso piscar de olhos. E pode ser o melhor de todos. Pode ser um piscar de olhos que mude todos os outros piscares de olhos.
Percamos, então, menos tempo com todas aquelas coisas que nos distraem do nosso percurso, que nos distraem da nossa vida, que nos roubam tempo que devia ser dedicado ao que devia ser dedicado. Aproveitemos, então, para cultivar esperança, bondade, felicidade. Aproveitemos para aproveitar. Porque a vida é um piscar de olhos, mas ainda há muito a fazer antes de chegar a hora de ser o nosso olho a fechar.

Luísa

"No fundo, todos temos necessidade de dizer quem somos e o que é que estamos a fazer e a necessidade de deixar algo feito, porque esta vida não é eterna e deixar coisas feitas pode ser uma forma de eternidade." - José Saramago

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D