Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Inspiration Lab

a esperança

Uma esperança tão pequena como a existência de quem ma dava. Uma esperança efémera que, no entanto, me agarrava. Uma esperança sem nome, sem corpo, sem força, sem idade. Uma esperança sem inveja, sem cobiça, sem maldade. Uma esperança pela qual há tanto aguardava. A esperança que me salvava.
Como não recear, porém, pelo apagar daquela tão ténue luz que tão celeremente se tornara na razão para o meu respirar? Como não temer não conseguir proteger quem agora era a razão do meu ser? Como não a perder?
Como é que o nada pode ser tudo? Como é que o pouco pode significar tanto? Como é que quem ainda mal existe pode já ser contra os males da vida para mim um escudo? Como é que tão facilmente me rendi a uma silhueta a preto e branco? Uma silhueta que cresce, correndo em direção a quem um dia se há de tornar. Uma silhueta que cresce, aguardando pela cor que a vida lhe irá dar.

Luísa

"No fundo, todos temos necessidade de dizer quem somos e o que é que estamos a fazer e a necessidade de deixar algo feito, porque esta vida não é eterna e deixar coisas feitas pode ser uma forma de eternidade." - José Saramago

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D